Curso de secretaria acadêmica: do processo seletivo a colação de grau

Curso de secretaria acadêmica: do processo seletivo a colação de grau

Inscrições abertas

O curso apresenta os requisitos básicos para gestão de secretarias acadêmicas de IES e os benefícios para o aluno e a instituição. Faça sua inscrição.

Curso realizado nas seguintes cidades:

São Paulo-SP

Veja as datas e horários para cada cidade na descrição abaixo:

Descrição do curso

A importância  da atuação da Secretaria Acadêmica em atender bem e oferecer respostas e soluções com rapidez e principalmente  segurança  conferem  uma excelente  imagem, não só do próprio setor como o de toda a instituição uma vez que  é o órgão responsável  legalmente responsável pela vida acadêmica do aluno.

A Secretaria Acadêmica é um órgão central de desempenho e registros acadêmicos. Organiza o controle acadêmico, garantindo a segurança e correção desses registros. Expede, subscreve documentos, realiza matriculas, rematriculas, controla e registra diários de classe alem de expedir diplomas, certificados, emissão de históricos e programas de disciplinas, certificados de conclusão de curso, inscrições no ENADE, além de levantamentos estatísticos para a Direção Acadêmica e Direção Geral.

O que é o acervo acadêmico?

Todos os documentos produzidos e recebidos por instituições de ensino superior (IES) públicas ou privadas,  relacionados ao histórico acadêmico dos estudantes e necessários para comprovar seus estudos fazem parte do acervo acadêmico.

Quais instituições serão afetadas?

Todas as instituições de ensino superior públicas e privadas deverão migrar seus acervos para o meio digital. Contudo, a obrigatoriedade de criar um projeto de acervo acadêmico digital alinhado ao Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) é obrigação apenas para as instituições privadas.

Quais são as obrigatoriedades e prazos relativos ao acervo acadêmico digital?

As principais obrigatoriedades sobre o acervo acadêmico digital estão dispostas no Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017. Esse marco regulatório, é bom lembrar, trouxe uma série de modificações para o ensino superior.

 Ainda de acordo com o Decreto, a IES deve apresentar um projeto de acervo digitalizado. A Portaria nº 315, de abril de 2018, estabeleceu um prazo de 24 meses para que todo o acervo acadêmico das IES seja transportado para um meio digital.

A Portaria também estabelece que essa transição seja feita a partir do uso de tecnologias que garantam a integridade, a autenticidade, a confiabilidade e a duração da informação no meio digital.

Portaria 315/Abril 2018

No mês de  abril de 2018, foi publicada a Portaria nº 315 (substituição da Port. 22/2017), no atendimento  ao  Art. 104, do Decreto nº  9.235/2017.

Art. 104. Os documentos que compõem o acervo acadêmico das IES na data de publicação deste Decreto serão convertidos para o meio digital, mediante a utilização de métodos que garantam a integridade e a autenticidade de todas as informações contidas nos documentos originais, nos termos da legislação.

A Portaria 315 determina a criação de uma Política de Gestão Documental por parte das instituições. Com ela, surge a necessidade de aplicar o Plano de Classificação de Documentos, para organização de documentos físicos e digitais, e também a Tabela de Temporalidade Documental, que assegura a prescrição legal e administrativa dos arquivos nas fases em que se encontram (corrente, intermediário e permanente).

As IES tem o prazo de 24 meses (2020) para implementar o acervo acadêmico digital.

A Portaria estabelece que os documentos que compõem o acervo acadêmico das Instituições de Ensino Superior devem ser convertidos para o meio digital, mediante a utilização de certificação digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil, conforme disciplinada em lei, pelos responsáveis pela mantenedora para garantir a confiabilidade, autenticidade, integridade, durabilidade e a validade jurídica do acervo.

A Portaria ainda determina a obrigatoriedade de as instituições de ensino constituírem comitê gestor para elaborar, implementar e acompanhar a política de segurança da informação relativa ao acervo acadêmico, e que este deve ser controlado por sistema especializado de gerenciamento de documentos eletrônicos.

__________________________________________

Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017

Art. 21.  Observada a organização acadêmica da instituição, o PDI conterá, no mínimo, os seguintes elementos:

 VIII - projeto de acervo acadêmico em meio digital, com a utilização de método que garanta a integridade e a autenticidade de todas as informações contidas nos documentos originais;

 Art. 45. Nos termos do art. 104 do Decreto nº 9.235, de 2017, os documentos e informações que compõem o acervo acadêmico, independente da fase em que se encontrem ou de sua destinação final, conforme Código e Tabela aprovados pela Portaria AN/MJ no92, de 2011, deverão ser convertidos para o meio digital, no prazo de vinte e quatro meses, de modo que a conversão e preservação dos documentos obedeçam aos seguintes critérios:

I - os métodos de digitalização devem garantir a confiabilidade, autenticidade, integridade e durabilidade de todas as informações dos processos e documentos originais; e

II - a IES deverá constituir comitê gestor para elaborar, implementar e acompanhar a política de segurança da informação relativa ao acervo acadêmico, conforme definido nesta Portaria, no Marco Legal da Educação Superior e, de maneira subsidiária, em suas normas institucionais.

Art. 46. O acervo acadêmico, oriundo da digitalização de documentos ou dos documentos nato-digitais, deve ser controlado por sistema especializado de gerenciamento de documentos eletrônicos, que possua, minimamente, as seguintes características:

I - capacidade de utilizar e gerenciar base de dados adequada para a preservação do acervo acadêmico digital;

II - forma de indexação que permita a pronta recuperação do acervo acadêmico digital;

III - método de reprodução do acervo acadêmico digital que garanta a sua segurança e preservação; e

IV - utilização de certificação digital padrão ICP-Brasil, conforme disciplinada em lei, pelos responsáveis pela mantenedora e sua mantida, para garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurídica do acervo.

DOCENTE E RESPONSÁVEL MARIA HELENA KRUGER,

Mestre em Gestão Estratégica das Organizações - ESAG-UDESC/SC; Especialista em Marketing - ESAG-UDESC/SC; Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

CARGOS RELEVANTES:

Pró-Reitora Comunitária e de Extensão e Secretaria Executiva de Planejamento da UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC-SC; Pró-Reitora de Ensino de Graduação e Pró-Reitora de Extensão da UNIVERSIDADE DE UBERABA - UNIUBE/MG; Diretora de Desenvolvimento Institucional

Centro Universitário de Maringá - UNICESUMAR/PR.

Vice-Reitora, Superintendente Acadêmica, Presidente da Comissão de Avaliação Institucional e e Pró-Reitora de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão da UNIVERSIDADE GUARULHOS - UNG/SP. Coordenadora Nacional de Educação Básica e Superior - Rede CNEC. Brasília/DF.

ATUALMENTE É ASSESSORA ACADÊMICA. AMPESC -  Associação dos Mantenedores da   Educação Superior de Santa Catarina; MEMBRO DA COMISSÃO DO PRÊMIO NACIONAL DE QUALIDADE NO ENSINO SUPERIOR, SISTEMA ENERGIA DE ENSINO - SC. DIREÇÃO FACULDADE ENERGIA.

Objetivo do Curso - 20h

a) apresentar os requisitos principais para uma excelente gestão da atividade na Secretaria Acadêmica das IES;
b) apresentar os principais pontos do dia a dia de uma IES organizada corretamente;
c) os benefícios da organização perante  o aluno, a própria instituição vinculada e ao órgão máximo que é o MEC.

Público Alvo

PÚBLICO: Gestores, Secretárias (os) Acadêmicos, Diretores, Coordenadores e demais profissionais interessados.

CURSO DE SECRETARIA ACADÊMICA - ENSINO SUPERIOR

Do Processo Seletivo a Colação de Grau

Conteúdo Programático

1.       Processo Seletivo

Edital. Normas. Formas de Ingresso. Publicação do Edital. Publicação dos Resultados.

1.1 Processo Seletivo: Vagas Remanescentes

Retorno por abandono (reingresso). Retorno de graduado. Transferência externa.

2.       Calendário Acadêmico

3.       Matrícula. Documentos necessários.

3.1  Trancamento de matrícula. Reabertura de matrícula. Devolução de taxa de matrícula. Cadastro de Aluno. Validação de Disciplina: interna e externa.

4.       Aproveitamento extraordinário de estudos.

5.       Frequência.

Obrigatória. Faltas por convicção religiosa. Regime especial.

6.       Diário de Classe.

7.       Enade.

8.       Intercâmbio. Validação de disciplina. Validação de curso concluído no exterior.

9.       Formatura

Solenidade de colação de grau. Colação de grau em gabinete.

10.   Expedição e Registro de Diploma.

11.   Acervo acadêmico. Secretaria digital. Diploma digital

Diferencial

O participante poderá apresentar 01 caso especifico  de sua Instituição de Ensino Superior, para discussão.

Vagas Limitadas

Inscrições abertas  para 2019  conforme Agendamento

EM SÃO PAULO DIAS 31 DE MAIO E 01 DE JUNHO DE 2019.

HORÁRIO DAS 09:00  às 17:00

INVESTIMENTO: R$ 1.500,00

No boleto bancário  para pagamento  à vista com desconto R$ 1.200,00

ou no PAG SEGURO UOL  em 3 parcelas sem juros de R$ 500,00 

Faça sua inscrição

Selecione a cidade desejada e clique no botão inscrição para preencher seu cadastro e garantir sua vaga!

Selecione o local do curso: